Skip to content

Como aprender malabarismo em 1 hora!

Tendo finalizado 20 horas de treino a aprender piano há duas semanas, chegou a altura de “agarrar” um novo desafio. Não é necessário aprender sempre algo difícil porque também é divertido saber fazer qualquer coisa nova que requer poucas horas de treino. Foi por essa razão que decidi aprender a fazer malabarismo.

O meu objectivo é muito simples: aprender a fazer malabarismo com 3 bolas. O que levanta outra questão, quais são as bolas que devo utilizar? Sei que existem bolas especializadas em malabarismo mas não queria gastar dinheiro. Pensei utilizar laranjas, mas comecei a imaginar sumo na carpete! Outra ideia seria encher balões com areia, mas sou demasiado preguiçoso para os ir comprar e ir à praia (a 100m de minha casa) encher os balões. No final a solução estava na minha secretária, “bolas de ténis”. São perfeitas porque têm um bom tamanho para malabarismo e, melhor que tudo, caem no chão e saltam (e eu sei que elas vão estar sempre a cair).

Material necessário para aprender malabarismo.

Isto é uma skill fácil de aprender, contudo é importante pesquisar qual é a melhor técnica antes de começar a treinar de forma a alcançar os melhores resultados no menor espaço de tempo. As duas ideias mais fortes a reter do malabarismo são:

  1. Na maior parte do tempo existe apenas 1 bola no ar. Só existem 2 no momento em que lançamos uma bola para receber a outra que está no ar. Ou seja, só temos de largar a bola da mão quando outra está a chegar à mesma mão.
  2. Para evitar colisões das bolas devemos lançar uma bola por dentro e receber a que está no ar por fora. É mais fácil perceber este conceito no vídeo abaixo.
O mais difícil no malabarismo é ter a sensibilidade de lançar uma bola para o ar quando outra está quase a chegar à mão. Na minha opinião, este é a melhor sequência de treino para dominar esta skill.
  1. Lançar uma bola de uma mão para a outra.
  2. Colocar uma bola em cada mão, lançar a bola com a mão direita e quando esta estiver quase a chegar à mão esquerda, lançar a bola com a mão esquerda e apanhar a bola que vem do ar. No fim, apanhar a segunda bola com a mão direita. Repetir novamente mas começando com a mão esquerda.
  3. Aprender malabarismo com apenas 2 bolas e uma só mão. Lançar uma bola para o ar e quando esta estiver quase a chegar à mão, lançar a outra e assim sucessivamente. Também se pode saltar este ponto. Pela minha experiência isto é tão difícil quanto fazer malabarismo com as 3 bolas. Exemplifico no meu vídeo mais em baixo.
  4. Treinar sequência com 3 bolas no chão contra uma parede, tal como é explicado no vídeo acima.
  5. Experimentar a mesma coisa no ar.

É durante o sono que o corpo ganha memória muscular. Estudos apontam que se formos dormir até 4 horas depois de treinar vamos consolidar melhor o que aprendemos, sobretudo em skills que envolvem memória muscular Portanto sugiro um treino de apenas 20 minutos por dia, pouco tempo antes de ir dormir.

Tenho de confessar que falhei quanto ao treino porque não defini logo de início quando e quanto tempo queria treinar por dia e portanto treinei quando me lembrei! Da minha experiência (que demorou mais de uma semana, por falta de organização), é apenas necessária 1 hora de treino para aprender malabarismo com 3 bolas, perfeição à parte. Juntado os 20 minutos de cada dia, deverão ser necessários 3/4 dias para aprender malabarismo. Aqui fica um vídeo meu com 1 hora de treino de malabarismo:

Como se pode ver, estou longe da perfeição. O mais difícil é fazer um bom arco com as bolas de ténis para que elas não colidem. Como tenho dificuldade nisso, vou acumulando erros e no final já estou a fazer malabarismo fora do ângulo da câmara.

É bom aprender qualquer coisa difícil, investir 20 horas de treino e no final estar feliz pelo resultado atingido. No entanto, como já disse, há coisas que se aprende em pouco mais de 1 hora e das duas uma, ou são divertidas ou dão muito jeito.

Já finalizei a leitura do livro “As primeiras 20 horas”, onde Josh Kaufman explica como aprender qualquer coisa rapidamente. Irei fazer um post sobre isso no “O Macaco de Imitação” e juntar algumas ideias que tenho sobre essa matéria. Até lá!