Skip to content

Procrastinação à boss e como deve de ser

O que é procrastinação?

Definição de procrastinação para o Macaco de Imitação – palavra cara, que poucas pessoas conhecem, mas que em português quer dizer “deixar para amanhã o que se pode fazer hoje”.

Imagem retirada do ano-zero.com e adaptada do blog WaitButWhy

Acima está representada a matriz de Eisenhower, sobre tarefas urgentes Vs importantes. No canto superior esquerdo tens as tarefas que precisam de atenção máxima, porque são importantes e urgentes. Um exemplo destas tarefas são trabalhos da faculdade com data de entrega próxima. Tens de fazê-las já! As tarefas Q2 também são importantes, mas não precisam de ser feitas imediatamente, porque a data de entrega está longe ou nem existe. Estas tarefas precisam de ser bem planeadas (com macro e mini tarefas) para serem feitas mais tarde quando ficarem verdinhas (Q1).

As tarefas Q3 são aquelas coisas que outras pessoas te pedem para fazer agora mas não são importantes. Das duas uma – ou arranjas um terceiro desgraçado para as fazer, ou despachas isso quando tiveres um tempinho para que não fiquem a pesar na tua agenda. Por último, as tarefas Q4…nem deviam existir.

Procrastinação, na minha opinião, é fazer tarefas que não são urgentes e importantes. É gastar tempo com tarefas Q2, Q3 ou Q4, quando temos tarefas Q1 para fazer. A menos que sejas um gajo/a super organizado/a e já não tenhas tarefas urgentes. Aí podes fazer tarefas azuis Q2, importantes e não urgentes, que não estás a procrastinar. De resto, não te iludas – se tens tarefas Q1 para fazer, é nisso que tens de trabalhar.

Os dois tipos de procrastinação

Há dois tipos de procrastinação, mas não os pesquises na net porque provavelmente não os vais encontrar – acabei de os inventar porque calham bem naquilo que vou escrever a seguir. Existem, dizia, dos tipos de procrastinação, a boa (Tipo-B) e a má (Tipo-M).

A procrastinação clássica é do Tipo-M. Quando em vez de estarmos a trabalhar nas tarefas importantes e urgentes estamos a ver vídeos no YouTube e a fazer zapping na TV e a ver o facebook e a ver séries. Estas são do Tipo-M porque não têm nada de trabalho, não tem nada de urgente e importante e retiram-nos toda a motivação para trabalhar. Quem nunca se sentiu mal a navegar no facebook que atire o primeiro….post?

Mas a procrastinação também pode ser boa. É verdade! A procrastinação Tipo-B são tarefas Q2 ou Q3, importantes não urgentes, ou urgentes não importantes. Ou então são tarefas Q1 mas com concentração sub-ótima.

A procrastinação Tipo-B, ao contrário da Tipo-M, não retira motivação ao trabalho que temos de fazer. Pelo contrário, este tipo de procrastinação é importante, na minha opinião, porque constrói a motivação necessária para fazer as tarefas Q1.

De seguida apresento 4 tipos de procrastinação do Tipo-B, que te podem ajudar a trabalhar melhor nas coisas que são importantes e urgentes.

Procrastinação Tipo-B

Fazer tarefas Q2 (importantes não urgentes) quando temos tarefas Q1 (importantes e urgentes) para fazer

Vamos a um exemplo muito prático e pessoal. Neste momento tenho um artigo para fazer, com data de entrega em Janeiro, para o doutoramento. É a minha tarefa mais importante e urgente. E dita a regra que, para não procrastinar, tenho de estar a fazê-la sempre que esteja a trabalhar. Mas esta também é uma tarefa muito chata, e por isso não consigo trabalhar nela, com motivação e foco, durante muito tempo.

Então como faço? Vou ver uma série ou vou ao YouTube? Muito raramente, porque já aprendi que isso ainda me deixa menos motivado, mas também acontece. O que acontece é começar uma tarefa menos aborrecida. Uma destas tarefas tem sido um curso online, sobre coisas também do doutoramento. É uma tarefa Q2, porque o que lá aprendo vai ser muito importante para os próximos meses, e com ela consigo divertir-me, descontrair um bocado e ganhar motivação para voltar a escrever o artigo. É um tipo de procrastinação e eu sei bem disso, mas é do Tipo-B.

Imagem retirada do ano-zero.com e adaptada do blog WaitButWhy

Ouvir música

A música e a produtividade não são compatíveis, não te enganes. Se estás a ouvir música, o teu foco não está totalmente na tarefa Q1. Vais começar a cantar, ou vais prestar alguma atenção à música e a tua produtividade sofre com isso. Ouvir música enquanto se trabalhar é procrastinação. Mas em alguns casos é do Tipo-B, e essa não tem problema.

Outro caso muito prático – se estou a ler ou escrever, não posso ouvir música com letra ou com muito ritmo porque me distrai completamente da tarefa. Em pouco tempo estou a cantar ou a dançar e qual era a tarefa Q1 que estava a fazer? Pois, nesse caso a música é procrastinação Tipo-M. Mas se o meu trabalho envolve uma tarefa repetitiva, a música ajuda a passar o tempo e a tornar a coisa toda menos aborrecida.

Com música vais demorar mais tempo a fazer a tarefa, e por isso é que é procrastinação. Mas como vais ficar menos aborrecido e vais ganhar motivação e ainda assim vais conseguir fazer a tarefa corretamente, é do Tipo-B.

Dar uma volta

Já percebemos que não procrastinar é fazer tarefas verdes, Q1, importantes e urgentes. Mas às vezes estamos cansados ou desmotivados. Já experimentámos trabalhar numa tarefa menos aborrecida Q2, ou ouvir um pouco de música enquanto trabalhamos para ganhar motivação, mas nada disso está a resultar. O que se pode fazer nessa situação? Ir ver séries? Não! Isso é do Tipo-M. Tu queres é dar uma volta, e aplicar aí uma motivação procrastinadora do Tipo-B.

Vamos a um exemplo prático para ver se nos entendemos. Às vezes vou surfar para Peniche quando devia estar a trabalhar. É claro que o exercício físico deve fazer parte do dia-a-dia, mas às vezes o surf demora mais uma hora do que um exercício físico normal. Mas é importante para mim, porque me motiva para depois trabalhar melhor.

Outros exemplos desta procrastinação do Tipo-B podem ser ir beber um café rápido com um amigo e conversar sobre outras coisas além trabalho. Ou fazer a segunda corrida do dia. Ou tocar guitarra. Ou comer uma laranja, sei lá.

Ou seja, faz qualquer coisa que te dê motivação para depois trabalhar melhor.

Fazer uma série de tarefas pequenas não importantes e urgentes

Podes também fazer uma procrastinação produtiva. É fácil. Junta uma série de tarefas pequenas, não Q1, mas coisas que têm de ser feitas, e faz uma série delas seguidas. Envia aquele email que andas a adiar, faz o favor que estás a dever à tua avó, ajuda um dos teus colegas, ou outra coisa qualquer. Estás a perceber certo?

Além de fazeres algumas coisas que até são importantes, e que se calhar andaste a adiar durante uns tempos, fazes coisas pequenas e rápidas e consegues fazer uma séries de vistos na tua lista de a-fazeres. Isso dá uma grande motivação.

Nota final

Neste artigo apresentei 4 tipos de procrastinação do Tipo-B. Mas admito que possam haver mais. Aliás, eu procrastinei ao escrever este artigo e não pensei em mais algumas procrastinações do Tipo-B a acrescentar. Se tiveres algumas sugestões, comenta!

Procrastinar está errado, mas estás desculpado se só fizeres aquelas que são do Tipo-B. Essas enchem-te de motivação para fazeres as tarefas importantes e urgentes. Procrastina, mas procrastina à boss.

Artigos relacionados: